despedida


Deixe-me aqui com minhas dores
elas são necessárias nesta hora de morte
Quero permanecer em meu quarto
protegido de alheias alegrias
porque é hora de recordar, de repensar, de sofrer pequeno
Deixe-me com minhas cores mórbidas
Eu sou assim mesmo: alma aflita em grandes despedidas.
Nunca soube lidar com a morte - nem de gente nem de bicho.
Digo adeus a minha grande companheira - Companheira de grande valia
Diferente das outras, só me trouxe alegria.
Adeus Luly, minha marrom-caramelo, minha cadela querida.
Quatorze anos de convivência e de amor sincero.
Deixe-me aqui em meu quarto escuro recuperando minhas forças
Pois eu não consigo diferenciar o homem dos outros bichos.


Paulo Francisco

7 comentários:

isa disse...

E é uma grande dor, sim
Que parece rasgar o coração.
Beijo.
isa.

✿ chica disse...

Tristeza e despedir-se de nossos bichinhos amados é doloroso mesmo. Fica bem! abraços,chica

Majoli disse...

Imagino sua dor meu querido amigo.
Também eu perdi o meu "Sheik" e como sofri.

Um beijinho cheio de carinho pra ti.

maria teresa disse...

Conheço essa tristeza! Se conheço!
Hoje o abraço é mais ternurento!

veronica disse...


Como é triste perder um amigo fiel e de um amor incondicional.

Aleatoriamente disse...

Há sempre uma sementinha de despedida nos tempos né amigo? Elas muitas vezes se plantam tão doridas.
Intenso e lindo teu sentir.

Beijinho Paulo

lis disse...

Tem aqui um ombro Paulo pode chorar .