Poema











Varal de cores
Balançam os poemas
na madrugada fria

Fria madrugada - Tormenta!
 O vento tenta, mas não entra.
- Janelas e portas trancadas.

Varal de cores
Poeta e poesia na fria madrugada.


Paulo Francisco

3 comentários:

✿ chica disse...

Que inspiração linda ,em meio ao vento e tormenta! abração, lindo dia! chica

Rô... disse...

oi Paulo,

a noite é mesmo
uma grande inspiração para os poetas...

beijinhos

Ivone disse...

Amigo poeta, lindo poetar, mas olhe, me fez lembrar a ventania aqui em Sampa, nossa, foi de assustar,mas ainda bem que não foi em vão, choveu pelo monos o suficiente para nos trazer esperança de boas chuvas para a estação vindoura!
Abraços apertados!