Companhia






Ao seu lado, quero todos os clichês amorosos. Mil beijos imediatos. E muitos abraços apertados.
Ao seu lado, não me incomoda ser um bobo apaixonado. Um lunático contador de nuvens.
Ao seu lado, torno-me poeta em queda-livre. Um desvairado trovador.
Ao seu lado, torno-me grande – um coletor de cores. 
Ao seu lado, sou forte – sou um desbravador.
Ao seu lado, não há dores.

Há somente amor.



Paulo Francisco

3 comentários:

✿ chica disse...

Linda companhia essa! Abração, feliz novo ano! chica

Nelma Ladeira disse...

Lindo o seu amor!
Adorei !! Beijinhos.

Paula Barros disse...

Que assim seja, Paulo.
Que a poesia possa ser vivida.
Lindamente assim.
beijo