Sementes



Saltam da antiga estante de madeira
                lembranças de um guri franzino.
                               As palavras surgem do vazio da noite
                                               Germinam como sementes de flores
                                                               Colorem a alma e aromatizam a pele
                                                                               Oxigenam o peito e purificam os olhos
                                                                                              As palavras se transformam em castelos
                                                                                              montanhas, céus, mares, rios e florestas
                                                                              Atravessam as frestas do calabouço
                                                               Iluminam o mais terrível dos cárceres
                                               As palavras se juntam aos sentimentos
                               e escorrem na face mais dura do mundo
                As palavras criam imagens e paisagens
- enfeitam o caminho do poeta




Paulo Francisco

5 comentários:

✿ chica disse...

Maravilhosa inspiração e apresentação! abraços, chica

Rô... disse...

oi Paulo,

as palavras escritas sempre trazem cravadas a imaginação e o sentimento dos poetas...
adorei!!!

beijinhos

Nanda Olliveh disse...

Olá amigo poeta Francisco!
Quero agradecer pela gentil visita!
Teu cantinho é super agradável, gostei de ler-te!


Beijo!

lua singular disse...

Oi poeta Paulo
Uma linda poesia concreta que embelezou todo o espaço.
Eu não tenho espaço no meu blog para tal desempenho.
Parabéns

Smareis disse...

Nossa que lindo Paulo!
Gostei muito da criatividade. A poesia e esplêndida, casou perfeito com a imagem.
Uma ótima semana!
Um ótimo mês
Um abraço, e um sorriso!
Blog da Smareis