Monotonia

















Aqui em casa é tudo tão igual
a mesma paisagem a admirar
um verde escuro a me cegar
mata preservada na sala
lindas montanhas no quarto
Gaviões, coitados,solitários a planar
Passarinhos, espertos, a fugir
E tudo tão igual...
O Sol, bem cedinho vem me dá bom dia
A Lua, tão meiga, me vigia a noite inteira
E quando a natureza zanga-se comigo
esconde de minha visão tudo isto
Mas, como sou bonzinho, ela, a natureza,
vem vigiar-me num véu prateado
e quando percebe que estou triste
ela chora...
Eu sei - vejo marcas na janela.
são lágrimas a escorrer
Aqui em casa é tudo tão igual... eu sei.

Paulo Francisco

5 comentários:

✿ chica disse...

Que tudo continue assim bem igualzinho sempre! É lindo! abração,chica

lis disse...

Habituais trivialidades que amo
_ é como a poesia precisamos ler de novo depois de já termos lido...
e dizer coisas desse olhar depois de já termos dito!
abraços
e bonjour.

brisonmattos disse...

e que monotonia maravilhosa, não?

Majoli disse...

Nossa que poesia mais linda!
Emoção a flor da pele.
Amei, amei, amei!
Beijos meu querido amigo.

Tina Bau Couto disse...

Tão bom as vezes o tão igual
As vezes não
Viva a rotina e a variação