Lavadeira





Na água ele nasce
Por lá permanece
Predador aquático
Nada lhe acontece
Peixinho ou girino
Em sua boca acaba

Sai da água
Adulto se torna
Voa feliz
No lago contorna

Vai à procura de seu jantar
Moscas, mosquitos e outros insetos
Na água, na mata, ou no ar
possui mandíbulas para devorar

De vários nomes é chamado
o predador voraz:
Libélula
Libelinha
Lavadeira
Lava-bunda
Odonata
e outros mais

Mas pouco importa como o chamamos
Ele é importante em seu ecossistema
controlador de vários dípteros
-função de extrema importância-
tornando feliz o homem e quiça outros bichos.



Paulo Francisco

5 comentários:

Paula Barros disse...

Não sabia da vida deste bichinho.
Bom dia, beijão

Rô... disse...

oi Paulo,

tenho um certo problema com os insetos,
parece brincadeira,né?
mas não consigo gostar de nenhum...

beijinhos

sandra mayworm disse...

Amanheceu poetando...bom dia!
Enquanto houver água, lavadeira não vai faltar, rss!

Ivone disse...

Bom dia amigo Paulo, amei conhecer mais esse bichinho, nem sabia que libélula era chamado também de lavadeira, pois é, essa linda série está me fazendo enriquecer em conhecimentos, amo aprender, nem digo que amo todos os insetos, mas não tenho nada contra eles, fazem parte da natureza e se nos são úteis ótimo, se não os exterminamos como é o caso do mosquito da dengue né mesmo?
Os versos estão perfeitos, lindos de se ler, tens uma linda sensibilidade, eu já fiz poema para os urubus, rsrs, eles ficavam nas praias quando eu tinha casa por lá, nem se importavam com nada quando estavam "limpando-as", rsrs!
Abraços meu querido amigo!

Gracita disse...

Oi Paulo
Em cada verso um novo aprendizado
Tantos nomes que eu não conhecia
E saber da sua ação para o equilíbrio dos ecossistemas foi significativo
Belo versejar meu amigo
Um ótimo final de semana
Beijos meu amigo