Liberdade



Não era o estado do tempo que observávamos. Era o céu simplesmente. Namorar as nuvens deitado no chão era, para muitos, o jeito preguiçoso de levar a vida.

 Ah! Como gostávamos de deitar na barra da saia das tardes de outono só para ver as nuvens passando... passando... passando... até o anoitecer.


Paulo Francisco

4 comentários:

✿ chica disse...

E quer coisa mais legal? Adoro! Adorei te ler! abração,chica

Paula Barros disse...

Algo muito bom de se fazer.
Texto poético e linda imagens sugere.
beijo

MARILENE disse...

Um comportamento que sempre enriquece o olhar. E deixa fluir a imaginação e os sonhos. Bjs.

lis disse...

É muito bom contar carneirinhos_ faço isso até olhando o teto ...mas gostaria de uma barra de saia de alguma tarde de qualquer estação para ve-las passar...
Lindo, Paulo _sempre gosto muito!