Dois-pontos






Se estou triste, me recolho
Se estou feliz, me expando
Sou assim: igual a todos
- com altos e baixos
Reclamo do calor - Reclamo do frio
Acredito no beneficio da chuva
mas não gosto de me molhar
[mas as vezes danço com ela]
Protejo-me do sol, mas reverencio sua chegada
Sou lua/ Sou de lua
Já não aponto para as estrelas -  mas não deixo de contá-las
Não tenho medo do escuro. mas adoro uma luz acesa
Odeio política, mas vou as urnas a cada dois anos
Eu sou assim: Comum/igual
Amo/desamo - Ato/desato
Se estou contente, quero ver gente
Se estou soturno, não vejo o mundo
- apago a luz e espero tudo passar
Porque tudo passa... até mesmo a minha dor

Paulo Francisco

6 comentários:

✿ chica disse...

Lindpo0 ,Paulo! Tu escreves e te expressas lindamente em poesia. Tudo realmente passa! Adorei mais essa! abração,chica

Ivone disse...

É assim mesmo a Vida, a sua a minha, a de todos!
Amo ver o lado bom de tudo, pois tem, para tanto há que se treinar, saber esperar, cada dia é diferente e a cada um se aprende a viver um pouquinho mais!
Que lindo seu poetar meu amigo Paulo, ainda bem que tudo passa, as coisas boas, as ruins também!
Deixo aqui um abraço bem apertado!

Paula Barros disse...

É isto, tudo passa.
Mas se venho aqui e vejo o blog atualizado
Passa "mais melhor".
beijão

lis disse...

Além dos dois pontos acrescento a exclamação no seu lindo poema.
Bravo!!
_sou assim.Igualzinho a ti.
beijo

Alfa & Ômega disse...

Realmete usastes sabiamente os dois pontos e encontrei-me nele! Gostei tanto, tanto! Abraço!

Alfa & Ômega disse...

Paulo uso sábio dos dois pontos. Gostei tanto! Encontrei-me neles um bocado! Beijos!