O verbo




Palavras isoladas
- significados
Palavras unidas
- sentimentos

Palavras pequenas
- recados
Palavras complicadas
- decretos


Palavras escritas
- mensagens
Palavras faladas
- confissões

Palavras floridas
- paixões
Palavras tremidas
- despedidas

E na lápide
palavras não ouvidas.


Paulo Francisco

19 comentários:

Nelma Ladeira disse...

Boa tarde Paulo.
Lindas palavras,mais eu entendi que você está se despedindo,vai acabar com o blog?
Eu estou doente,mais estou sempre lendo os seus lindos textos.
Que são maravilhosos,eu adoro,palavra por palavra.
Se interpretei errado peço desculpas,mais se estou certa,vou ficar muito triste.
Beijos.

MARILENE disse...

Talvez não sejam ouvidas, mas lidas por quem já se foi. Belos versos, Paulo. Só não gostei do entre parênteses. Está encerrando o blog? Ou vai publicar apenas no outro? Bjs.

brisonmattos disse...

vc adora uma cena. Que tal reescrever sua história com sequencia, ou seja, começo, meio e fim.

Paulo Francisco disse...

Nelma, sim, estou fechando o Varal. Ainda não sei se volto com poesias em outro blog ou se fico com prosas no Varanda. Beijogrande

Paulo Francisco disse...

Marilene, por enquanto estarei no outro. Beijogrande

Paula Barros disse...

Não gostei da despedida. Mas se for melhor para você, entenderei.
Espero que continue no Varanda, ou em outro blog. Avisa.
beijão, já de saudades.

brisonmattos disse...

Vou sentir saudades desse personagem também.Um beijo grande em você e fica com Deus.

Vera Lúcia disse...


Versos lindos e significativos para colocar fim a este Varal tão lindo e permeado pela sensibilidade.
Ainda bem que você ainda estará no Varanda. Adoro sua escrita.

Hoje passo especialmente para lhe agradecer pela companhia tão amável no decurso do ano e lhe desejar um Feliz Natal e um 2016 com muito sucesso, inspiração, saúde e felicidades.

Felizes festas.

Até breve!

Grande abraço.

crazy40blog disse...

Excelente e profundo!
Gostei da intensidade do final.
Parabéns!

Dulce

Vivian disse...

Nossa, Paulo!
Jogo de palavras perfeito!!!! ADOREI!
Bela inspiração a tua!

Beijos e meu carinho!

Irene Freitas disse...

Me pediram despedidas. Mas despedidas nem sempre são alegres. Na maioria das vezes são tristes. O Varal de Cores, se vai, ou ficará fechado por um tempo. Porém as palavras escritas com primor serão sempre lembradas. Pois nesses textos aqui expostos, há um talento enorme com as palavras, as colocações, as imagens que cada um que as leu faz. É impressionante o talento desse escritor. Tem um domínio invejável nas construção dos versos. A gente fica encantada com a fluência que ele consegue transmitir, mesmo que as frases a princípio não se conectem. Sempre falei que seria sua mecenas quando decidires escrever um livro. Há muitos escritores por ai que não tem o valor que pensam que merecem. Você Paulo Francisco, escreve como ninguém. Impressiona a muitos. E tenho certeza deixará saudades, tanto em seus leitores como em você mesmo em não publicar. Sei que logo logo estarás de volta. Talvez com outro blog que continuará tão lindo e cheio de sentimentos como este aqui.
Beijos de montão.
Sempre encantada contigo.
Volte um dia.
Irene Freitas

MARILENE disse...

Paulo, que bom saber que estará no outro. O que não pode é parar de escrever. Também fechei um dos meus por um tempo. Grande beijo!

sandra mayworm disse...

Não gosto de despedidas, mas às vezes elas precisam acontecer. Se terminou aqui mesmo, fechou com chave de ouro. Gostaria de publicar esse poema no meu blog, com os créditos e link para seu blog, se você permitir.
Desejo um feliz natal e que 2016 venha com força para novas realizações.
Paz, alegria, e meu agradecimento por ter compartilhado durante 2015 esse surpreendente mundo, tão seu.
Um forte abraço.

lis disse...

Aos poucos vai nos deixando,
Fico triste_ és uma companhia necessária _ preciso de ti como preciso dos poetas que leio ,todo da.
Não se vá... faze-nos felizes!
Te abraço e desejo um bom Natal.

Luciah Lopez disse...

VOlte!

Amapola disse...

Lindo, lindo!!
Que o recomeço seja cheio de alegrias.
Beijos.

Artes e escritas disse...

O poema de encerramento é bonito, mas quem sabe, se o poeta assim desejar, volte a escrever poemas e os publique no outro blog. De qualquer forma, felicidades nos seus projetos de blog futuros. Um abraço, Yayá.

Luciah Lopez disse...

Insisto, volte!

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Boa tarde, Paulo,que belo poema com palavras e sobre palavras.
Elas nos dizem tudo o que queremos ou não saber, ou ouvir. E, em cada contexto um significado, fora dele sente-se sozinha e sem ajuda, gostei muitíssimo de sua criatividade! Abraço!