Liberdade















Quero ouvir uma balada - Cavalgar campo afora
Sair desse marasmo invernal - Desse pecado capital
Escrever um texto  - mesmo  que não seja bom
Quero sentir o sol matutino - Correr como um menino
Contar as nuvens que passam – imitar todos os passarinhos
Entender a Aritmética de Sant´Anna -  Perdoar os meus professores
                                                           - principalmente os de matemática
E viver simplesmente  - Simplesmente viver sem despedidas.



Paulo Francisco

5 comentários:

Gracita disse...

Viver e ser feliz apreciando todos os momentos que a vida oferece sabendo extrair prazer das coisas mais simples pois são essas coisinha que propiciam a felicidade.
Um maravilhoso final de semana
Um super abraço

Rô... disse...

oi Paulo,

então vá, e faça,
não devemos guardar no peito a vontade de ter feito...

beijinhos

Evanir disse...

Paulo .
Foi revirando o passado nesse momento ão presente,
que encontrei seu poema na postagem do meu blog.
Senti o quanto a vida andou ,
também senti quanto eu parei no tempo.
Nessa volta vi quantos deixaram seu blogs de certa forma me senti triste de repente..
Amigo um feliz final de Domingo .
Uma semana abençoada.
Abraços..Evanir.

Tais Luso disse...

Coberto de razão, vivendo e aprendendo!
E tudo se torna simples, agradável, descomplicado!
Abraços, hoje por aqui...

sandra mayworm disse...

Então, é isso. Viver sem despedidas!!!
bjs