Etéreo



As nuvens caminham silenciosas no céu.
Eu as contemplo silenciosamente do chão.

Elas caminham lentamente pelo fundo azul
e eu também giro grudado ao verde chão.

Assopradas pelo vento se desmancham
em gotículas que caem  serenando a paisagem

refrescando
umedecendo
os meus olhos.

As nuvens caminham pelo céu
                              e eu voo aqui do chão.

Contrários, somos:
       Elas se desmancham em chuva
                                                  Eu me construo vivo.
                              
                               Elas caem derradeiras
                                                   Eu levito em sonhos.
                             
                               Elas renascem a cada dia
                                                    Eu envelheço simplesmente.




Paulo Francisco

5 comentários:

✿ chica disse...

Aplausos daqui! Lindo! abração,chica

Débora Teixeira. disse...

Que lindo Paulo!

Elas renascem a cada dia
Eu envelheço simplesmente.
É verdade envelhecemos assim! Simplesmente...
Adorei ler seu belo poema.

Beijos.

MARILENE disse...

Que belo, Paulo! Um olhar para cima, um voo, uma constatação. Bjs.

Andreia Morais disse...

Que bonito!

r: Sim, também é verdade*

Andreia Morais disse...

r: Muito obrigada!
Espero que também tenha gostado do trabalho do músico :)