Quem sabe?
















Talvez eu fique mudo
guardando comigo
sentimentos e palavras.

Só assim, quem sabe,
você me ouve.

Talvez eu permaneça
parado
impassível

Só assim, quem sabe,
você me veja.

Às vezes é necessário sumir
ficar invisível
ir para uma ilha
desaparecer

nenhuma uma carta
nenhum bilhete

Só assim, quem sabe,
ganho você.



Paulo Francisco

7 comentários:

✿ chica disse...

Questionamento e dúvida lindos! abração,chica

brisonmattos disse...

Eu sei mais de vc quando vc tá "kéto", por isso...ah para.
Mas bonitinha a poesia.rs

Anete disse...

Um poema bonito e desabafante...
Obrigada pela visita no Vida & Plenitude...

Bom fim de semana...

Maria Luiza disse...

Toda tentativa évalida sua intenção! Tente! Abração!

MARILENE disse...

Paulo, muitas vezes o valor da presença só é descoberto na ausência. Gosto muito do seu estilo de escrita. Bjs.

Paula Barros disse...

Quem sabe?
Quem sabe?

beijão

lis disse...

ah que lindo isso!
_também quero saber ,quando souberes me conta, tá?
'nenhuma carta,nenhum bilhete'nenhuma mensagem .
se for pra ganhar alguem logo depois vou pensar... rs
abraços Paulo
estou retornando, bem lentamente ! e tão simplesmente quanto antes!