Temporal III









































É chuva miúda que encharca
que apaga marcas deixadas
por queimaduras profundas
- loucuras de amor

É chuva miúda que carrega
consigo a dor de uma paixão
de ilusões adquiridas
em palavras profanas
- foi tudo amor

É chuva miúda que lava
bate na cara – desperta
- pura ilusão

É chuva miúda que não machuca
afoga as mágoas – alivia o peito
desfeito por quem partiu

É água que cai
que descama a pele grossa
saudade não permitida
parida/sofrida

É chuva miúda

É água sagrada

É chuva pedida
bem vinda
que limpa
apaga seu nome
do coração.


Paulo Francisco

5 comentários:

Débora Teixeira. disse...

Um grande amor,nunca se esquece.
Nem mesmo a chuva miúda consegue apagar.
Lindo temporal Paulo.
Beijos.

lis disse...

É só uma chuva pesada e o barulho acorda algumas lembranças que andam dormindo,em nós.
É só uma chuva forte _ quando abrandar vamos ver que vários nomes continuam dormindo e muitos corações.
Abraços Paulo
Gosto do estilo.

Louraini Christmann - Lola disse...

Que lindo!!
Me identifiquei, e muito.
Que bom.
Vou voltar.

Paula Barros disse...

Seu blog é o único blog que eu olho sempre.
Que ainda comento.
Gosto de vir aqui.
Gosto de ler o que você escreve.
beijos

MARILENE disse...

Amei!!!! É chuva, é lágrima, é água que encharca... mas que lava a alma. Bjs.