Adverbial

De tempo em tempo
penso-te
De quando em quando
sonho-te
De repente
vejo-te
E muito raramente
esqueço-te.


Paulo Francisco

4 comentários:

✿ chica disse...

Muito lindo!! abraços,chica

Paula Barros disse...

Sempre criativo, adoro!
A poesia vai nos ajudando no dia a dia. É bom vir aqui.
beijo

lis disse...

Os advérbios servem bem à causa dos poetas _ adorei,
de preferência evitando os de negação rs
abraço Paulo

Anne Lieri disse...

O amor é assim: não dá pra esquecer! Linda poesia! bjs,