Sopro


















Tudo estava tão distante
tão longe de meus olhos
tão longe de minhas mãos
tão longe de minh´alma
tão longe de mim
Tudo estava tão parado
abafado/acinzentado
naquele domingo solitário
choroso/vazio
ao longe  - sem vida
Estava quase tudo morto se não fossem
o canto dos pássaros no quintal e a aranha vizinha.



Paulo Francisco

4 comentários:

✿ chica disse...

Lindo e ainda bem que tudo tão triste e solitário,não te impediu de ver a beleza da teia( acho linda a teia, mas morro de medo, detesto a aranha,rs) e o canto dos pássaros! Lindo fds! abração,chica

Ivone disse...

Lindo poetar amigo Paulo Francisco, ainda bem que és assim, tão sensível que nos mostra que, mesmo na solidão há "...o canto dos pássaros no quintal e a aranha vizinha."
Nem tudo está perdido, amei ler!
Abraços bem apertados!

lis disse...

No dia seguinte o sol matutino vai rasgar essa bruma sobre as colinas da sua serra e vem ,de novo, a sensação de felicidade. Depois me conta ... rs
abraço,Paulo

Sonia disse...

Triste, mas muito lindo!