Claridade






Em dias transparentes
de paisagem limpa
de gente contente
de céu azul e telhados amarelos
de mar azul e barquinhos coloridos
não há mistério
não há tristeza
Não, não há
Não há Augusto dos Anjos
Não há poète maudit
Não, não há
Em dias transparentes
Não há Mautner
Não há Gullar
Não há Oswald
Não, não há
Em dias transparentes
há sol
há céu
há vento
Mas hás de ser diferente.


Paulo Francisco

3 comentários:

lis disse...

Belíssima!
_é o poeta brindando o leitor com sua habilidade de florir as palavras no modo Arte .
Obrigada meu lindo.

✿ chica disse...

Que os dias sejam sempre lindos, claros, como teus versos! abração,chica

Rô... disse...

oi Paulo,

adoro dias transparentes,
daqueles que dá para enxergar a alma e o coração...

beijinhos