Nossa! Que bicho é esse?

Tem a forma de um suíno
O pé de um rinoceronte
O casco de um bovino
E a tromba de um elefante

Galopa muito bem
Tem medo de onça
E da sucuri também

Bufa quando não gosta
Guincha com a dor
Assobia quando namora
Não se prende ao amor

É vegetariana e come grama
Sabe nadar e se cobre de lama
Quando vê o homem dana a fugir
Estou falando da grande tapir

Se ainda não sabes quem é
Não vou ficar nesse viés
Ela é a nossa giganta

E sem ofensas e sem drama
Tem quem lhe chame de anta.

Paulo Francisco

6 comentários:

Ivone disse...

Lindo poema e dizem que pessoas "tapadas" são chamadas de anta sem saber que ela é muito mais inteligente do que o homem, aprendi aqui o verdadeiro nome e amei!
Abraços meu amigo Francisco!

✿ chica disse...

Que legal!! abraços,lindo fds! chica

Paula Barros disse...

Excelente!
Parabéns pela série.
beijão
(sorri com o seu comentário)

Débora Teixeira. disse...

No meu pensamento,seja animal ou não!
Quem não se prende ao amor é realmente uma ANTA!
Adorei o texto.
Beijos.

Alfa & Ômega disse...

Coitada da anta, paga por todos os impacientes e o pior de tudo, às vezes me pego, me achando uma anta também! Abração! Tudo de bom! Semana bem feliz!

MARILENE disse...

Pela imagem, confesso que não identifiquei. Fui lendo seus esclarecedores versos e... kkkkkkkkkkkkkk tive que rir do final. Bjs.