Explosão!





O céu avermelhou-se expulsando o cinza
Sangrou a tarde fria e a noite tornou-se rubra
Vestiu a alma pálida de lua e estrelas
Transitou pelas palavras e pensamentos
O céu avermelhou-se clareando os meus olhos
Cobriu-me de poesias no mês de dezembro


Paulo Francisco

3 comentários:

Paula Barros disse...

E que venha uma explosão de poesia
Neste dezembro
Poesias rubras
Poesias azuis
Poesias, poesias, poesias....

beijo poético.

Rô... disse...

oi Paulo,

que bom que não permanece o cinza do céu,
as cores são muito mais inspiradoras...
que venham todos os tons que dezembro puder nos trazer...

beijinhos

✿ chica disse...

Explosões assim são maravilhosas e que venham muitas poesias! abraços,chica