companhia




Não existem palavras
- não há som
Tudo mudo/surdo
absurdamente compactado
 em meu peito de trapo
definitivamente trancado
 em meu escuro quarto.
Não há palavras
- não existe som
Tudo apagado/amarrado
amarfanhado/amarelado
desalentado/quebrado
Não há nada além de meu quarto escuro
absurdo!
- estou só
sozinho
esquecido
banido
Não há nada
nada
nada além de uma paisagem
 estupidamente turva
Estou enfraquecido
perdido...
Há somente ela
- uma  triste dor
coabitada
atada em mim.

Paulo Francisco


Nenhum comentário: