exceção




Nesta paisagem de tons fortes e vivos
de
 casas brancas e janelas coloridas
de
 mata verdejante e  pássaros azuis
de
 flores lilases e amarelas
de
 luz vermelha na varanda
de
 olho verde a espera
de
 olho negro a espiar
de
 moços e moças de preto
de
 jovens coloridos e de velhos também
de
 céu mais branco que azul
de
rios mais negros que ontem
de
viúvas alegres e floridas
de
sol laranja e lua vermelha
de
ardentes cometas e pálidos medos
de
peles amarelas e de peles vermelhas
de
todos os tons
de
qualquer cor, exceto o branco, o preto e o cinzento.


Paulo Francisco


6 comentários:

Loivarice disse...

Boa tarde Paulo, desejo uma Feliz Páscoa e uma ótima semana... bjks

Rita disse...

Olá vim deixar um abraço elogiar seu poema e deseja ruma Pascoa cheinha de alegria
Bjuss com carinho
Rita!!!!

Dauri Batisti disse...

Então,

passo por aqui. As cores criam impacto. Paro e leio. As palavras se articulam no caule fragil do "de", uma ligação frágil entre uma frase e outra, entre uma sensibilidade e outra. Bonito.

Mary disse...

lindo, alegre, colorido!!! parabéns pelo poema.. amigo, desejo uma Feliz e Abençoada Páscoa, pra ti e pra tua família.. beijos mil..

maria teresa disse...

Há sempre exceções...
Abracinho meu!

Crista disse...

Gosto como descreves as tuas cores!