identidade






Neste mundo de invenções instantâneas
de
poemas computadorizados
de
solidões compartilhadas
de
disfarces programados
de
velocidades terabytes
de
amores combinados
de
amigos inventados
de
curtir de montão
de
mortes súbitas
de
torpedos
de
medos
de
Ainda continuo tendo: carne, osso e alma
Ainda continuo sendo: Paulo Francisco de Araújo
compartilhando o que há melhor de mim.
[e o pior também]

9 comentários:

✿ chica disse...

Bom continuar sendo nós mesmos,apesar de tantas coisas nesse mundo! abraços,chica

isa disse...

E nunca deixe de ser!
Porque no meio dessa amalgama de encontros e desencontros,de ser e fingir ser,a verdade vem sempre ao de cima e a pureza do "eu" compensa!
Belo Poema!
Beijo.
isa.

Marina Fligueira disse...

¡Hola, Pablo Francisco!

Maravilloso es saber quienes somos, como somos, y seguir creciendo humanamente en lo bueno. Sentir que somos carne, hueso, alma, corazón y vida, para amar todas las cosas bellas. Ha sido un placer.
Te dejo mi gratitud y mi estima. Un saludo y se feliz.

*Escritora de Artes* disse...

OI querido amigo,

Adorei os versos e o novo blog....

Bjos

Suzane Weck disse...

Ola caro amigo,que belo blog e que belas poesias.Fiquei muito feliz com tua visita e mais ainda em saber que aprecias este tipo de melodias.Uma boa noite e meu grande abraço.SU

Daniele Dallavecchia disse...

A mesma velocidade com que a internet aproxima, ela afasta; parece que estamos na era das relações complicadas, onde bom mesmo é ter amigos e amores bem distantes, mas próximos dos olhos, como numa telinha de computador. Tempos maus estes "pós-moderno".Excelente poema. Obrigada pela partilha. Tenha um lindo dia!

EvaBSanZ disse...

E sob a tempestade, você ainda é você.

Um abraço

Reflexos Espelhando Espalhando Amig disse...

Coisa mais boa|!
Linda terça pra nós!
Bjins
Catiaho Reflexo d'Alma

Vera Lúcia disse...


E continue sempre assim, Paulo, pois "curto de montão"-rsrs

Adorei a forma do seu poema.


Beijo.