pra Akira


Ele saiu às carreiras
         largou tudo pra trás
                    amarelou só em pensar
que ali poderia ter uma grande surpresa.

Acovardou-se diante do fato
                   de receber o que sempre mereceu.

Quem planta tempestade colhe raios.

Raios que os partam os adornos adquiridos.

Carreiro saiu às carreiras
                    correu pro fim do mundo

Lá, ele encontrou outros seres bem parecidos.
                   com galhadas de veado e rabo de burro.





Paulo Francisco






6 comentários:

Vivian Fernandes de Goes disse...

Bom dia,Paulo!

Nossa!Forte e bem verdadeiro...colheremos exatamente o que plantarmos...mas infelizmente parece que a maioria ainda não entende isso...
Que coisa...
Bela inspiração e imagem!

Célia Maria de Sousa Arruda Jacobino disse...

Oi!
Colhemos o que plantamos,seja como for e de que forma for, a lei do retorno vem a galope.
Grata por tua visita, e tenha um ótimo fim de semana.
Bjos.

✿ chica disse...

Recado mandado, forte, incisivo! abração,chica

Maria Luiza disse...

Meu querido amigo, peço-lhe mil desculpas, mas acho que perdi o rumo das coisas que parecem se avolumar sem cessar. Também não consigo retornar comentários pra ninguém. Eu tenho trabalhado e me atrapalhado muito. Amo demais o que vc publica. Sou-lhe muito grata, gratíssima por não se esquecer de mim! Grande abraço e beijo!

lis disse...

Status de hoje é zangado nada de palavras doces ....rs
lembrei da musica do Roberto_ que vá tudo pro inferno ... hehehe
não é assim?

marciagrega disse...

kkkkk Que raios!!!
Um excelente final de semana pra ti!

Bjussssss